Cultura 046 Cover Image
User Image
Drag to reposition cover
Cultura 046 Profile Picture
4 hours ago - Translate

Réquiem ætérnam dona eis, Dómine,
Et lux perpétua lúceat eis
Riquiéscant in pace.
Amen.

image
Please log in to like,share and comment
6 days ago - Translate

For those who are also a blogger, I found a blogging platform her in Deep Web, wich is this one:

http://torpress2sarn7xw.onion/ [Proxy]

Anyone who knows of any more similar (here on Deep Web), can inform me.

Please log in to like,share and comment
8 days ago - Translate

A IGREJA E O PORTE DE ARMAS

O que a Igreja condena é os atos do homem assassino, o indivíduo violento que, armado ou não, tira a paz e o sossego da sociedade, vindo a colocar em risco a vida de outrem. Agora, o que a Santa Igreja Católica nunca foi contra e sempre apoiou, é o direito do cidadão de bem à legítima defesa, e sobre isso, o Catecismo da Igreja Católica trata de maneira bem clara em seus parágrafos: 2263; 2264; 2265; 2266 e 2267 e é isto que vale e é isto o que deve ser seguido: o Catecismo da Igreja Católica, os documentos da Santa Igreja e Seu Sagrado Magistério e não achismos, opiniões e ideologias Marxistas de sacerdotes hereges, adeptos da Teologia da Libertação. Pena que muitos católicos não têm o hábito de ler, não têm o hábito de pesquisar e de se aprofundar melhor sobre a História da Santa Igreja, Seus documentos e ensinamentos; vivem uma fé à moda "vâmo simbora!", açucarada pelo sentimentalismo e pelo emocionalismo e que por isso se deixam levar facilmente pelas falácias de sacerdotes modernistas, hereges e revolucionários dos últimos tempos, dos quais Nossa Senhora já sempre alertou em suas aparições.

Lembrando que o que a Santa Igreja diz sobre o porte de armas para a legítima defesa do cidadão de bem, encontra-se no Catecismo da Igreja Católica (CIC): 2263-2267.

image
Please log in to like,share and comment
12 days ago - Translate

Nova das feministas:suponhamos que, de noite ou de madrugada, você, que é homem, está andando em uma calçada e nessa mesma calçada está também andando uma mulher, você deve atravessar para o outro lado da rua, que é para não causar medinho na cidadã, porque, na cabeça inútil de uma feminista, homem que se veste igual homem, que fala grosso e que se porta igual homem (e não igual a um efeminado), estupra.

Ora, ninguém tem nada que atravessar pra canto nenhum! Deve-se continuar na mesma reta, e quanto a cidadã, ela, se quiser, que saia do caminho ou então não saia mais na rua.

Please log in to like,share and comment